IFRR ZONA OESTE: Projeto discute hábitos alimentares e realiza live sobre “gordofobia” nesta quarta-feira, 23

Live é aberta ao público em geral e terá a participação de profissionais da saúde, como psicólogo e nutricionista / Arte: Ascom/IFRR /
 
Já ouviu falar no termo “gordofobia”? Ele designa o comportamento de aversão a pessoas acima do peso. Agir com gordofobia é menosprezar e inferiorizar pessoas obesas, fazendo-as se sentir inferiores. A gordofobia será tema de uma live realizada pelo Campus Boa Vista Zona Oeste (CBVZO/IFRR) nesta quarta-feira, 23. A atividade faz parte do Programa Institucional de Incentivo a Projetos de extensão (Pipex).

O bate-papo será transmitido pelo canal oficial do IFRR no YouTube e inicia-se às 14 horas (horário local). Terá a participação do psicólogo Lourenço Lima, da nutricionista Júlia Goulart e da maquiadora artística Mirane Rafaela Pereira, que irá contar como superou a gordofobia.

A mesa-redonda faz parte do projeto Educação Alimentar, desenvolvido pelos estudantes Bruna Freitas e Eduardo Gonçalves, sob orientação da professora Clarice Gonçalves.

Segundo a docente, o objetivo do encontro é que os estudantes compreendam o respeito ao próprio corpo. “A partir da fala de um psicólogo, de um nutricionista e de uma pessoa que sofreu gordofobia e superou, eles entendam como agir diante de uma sociedade tão preconceituosa e cheia de padrões de beleza muitas vezes inatingíveis”, disse.

Ainda de acordo com a professora, a live é para pessoas de todas as idades, mas, sobretudo, para adolescentes.

“O que se percebe hoje é que procedimentos estéticos viraram modismo, assim como as dietas da moda. As redes sociais incitam padrões de beleza irreais, que podem gerar frustração e tristeza. Então, essa fala é para que os jovens busquem o autocuidado, o respeito ao corpo e outras formas de corpo não impostas pela mídia”, concluiu.
 
Projeto Educação Alimentar

A educação alimentar, no ambiente escolar, é uma ferramenta imprescindível para trazer à tona saberes populares salutares, bem como para dar acesso a informações sobre bons hábitos de saúde, de higiene e de consumo respaldados por pesquisadores da área de educação e saúde.

O projeto busca, por meio de lives de ampla divulgação, da confecção de cartilha virtual e de um acervo de livros, a conscientização de adolescentes sobre os benefícios de uma alimentação saudável. A prevenção de transtornos alimentares, a exemplo de anorexia, bulimia, ortorexia e vigorexia, é também um dos objetivos do projeto.

Temas como compulsão alimentar, gordofobia e saúde mental na adolescência serão abordados. O projeto, em outras palavras, visa oferecer informações seguras sobre hábitos alimentares saudáveis e valorização do bem-estar físico, mental e emocional por meio de questionamentos sobre padrões de beleza e estética ditados pela sociedade.

DA REDAÇÃO
Categoria:Educação

Deixe seu Comentário